Pastilha de freio, quando trocar?

Escrito na categoria "Mecânica e manutenção de veículos" por André M. Coelho.

Você ficará agradavelmente surpreso ao descobrir que pode trocar as pastilhas de freio a disco do seu carro de forma rápida, fácil e sem ferramentas especializadas. Fazer você mesmo também vai economizar muito dinheiro. Mas, mesmo que você não tenha interesse em fazer isso sozinho, saber o que está envolvido torna mais fácil entender o que seu mecânico poderá um dia lhe dizer.

Quando trocar a pastilha do freio?

Quase todos os carros hoje em dia têm freios a disco dianteiros. Freios dianteiros geralmente se desgastam mais rapidamente do que os freios traseiros (que podem ser freios a disco ou a tambor), portanto, eles precisam ser trocados com mais frequência. Você precisa trocar as pastilhas de freio quando elas ficarem muito finas, especialmente se começarem a fazer um rangido metálico ou rangido persistente quando você pressiona o pedal do freio. Mas o ruído sozinho nem sempre é o melhor indicador, então é melhor antecipar quando isso acontecerá inspecionando periodicamente a espessura das pastilhas de freio.

Alguns veículos e pastilhas tme indicadores de desgaste. Quando a pastilha estiver neste indicador, é hora de trocar.

Nota: Se a extremidade dianteira do carro vibrar quando você aplicar os freios, os rotores do freio podem estar empenados. Se os rotores parecerem ranhurados ou desiguais, eles podem estar estriados. Em ambos os casos, os rotores também podem precisar ser substituídos ou “girados” em um torno de freio, um procedimento não coberto aqui. Você pode precisar da ajuda de um profissional para isso, mas você pode ver o que está envolvido em uma troca de rotor olhando aqui.

Cuidados antes da manutenção nos freios

Conheça suas pinças: a maioria dos carros tem um conjunto de freio “pinça deslizante”. Isso é o que é mostrado na foto acima. Compare este conjunto de freio com o do seu carro. Outros carros têm conjuntos de “pinça fixa”. As almofadas nos freios de pinça fixa também são fáceis de trocar, mas o processo é um pouco diferente, então vamos abordá-lo em outra peça de instrução.

Faça um lado, depois o outro: por motivos que ficarão claros mais tarde, você deve trocar as almofadas de um lado do carro do início ao fim antes de fazer o outro lado. Além disso, como você está fazendo um lado de cada vez, gire o volante para que o volante em que você está trabalhando fique inclinado para fora para melhor acesso aos freios.

Trocando pastilhas de freio

As pastilhas de freio podem ser trocadas em casa com apenas alguns passos. (Foto: Car News & Videos from Auto Shows)

Quantos km para trocar as pastilhas de freio?

Assim como seu consumo irá variar dependendo de quão longe você dirige e quão eficientemente você dirige, o mesmo acontecerá com a vida útil de suas pastilhas (ou lonas) de freio. Para mais informações, a pastilha de freio é o material que é pressionado contra um disco de metal ou tambor (ou seja, rotor de freio) para parar o veículo.

Geralmente, as pastilhas de freio precisam ser substituídas a cada 75.000 quilômetros rodados, em média. No entanto, algumas pastilhas de freio precisam ser substituídas após 25.000 quilômetros, enquanto outras podem durar 40.000 quilômetros. Para obter um número mais preciso para as necessidades específicas do seu carro, consulte o manual do seu carro.

Como saber se a pastilha de freio está ruim?

Existem outros indicadores além da quilometragem e que também podem dizer que suas pastilhas de freio estão no final da vida útil:

Sempre que os pneus estiverem em rodízio ou o óleo for trocado, peça ao mecânico que dê uma olhada nas pastilhas de freio para ver o nível de espessura. É muito simples para eles.

As pastilhas de freio têm pequenos fios de metal na parte inferior para permitir que o motorista saiba quando está prestes a ficar sem material aderente. Substitua qualquer pastilha de freio que faça um ruído metálico de raspagem imediatamente.

Se a frenagem ficar instável, os rotores podem estar empenados. Nesta situação, você pode limpar ou polir a superfície do rotor para torná-la plana novamente. No entanto, é mais fácil e seguro apenas substituir o rotor do freio completamente.

Geralmente, se os freios parecerem desgastados ou começarem a perder desempenho, eles devem ser substituídos. Se houver ruídos incomuns ou faíscas provenientes dos freios, você pode solicitar a inspeção de um mecânico imediatamente.

O que acontece quando acaba a pastilha de freio?

Quando as pastilhas se desgastam, isso causa um atrito de metal sobre metal quando as pinças esfregam contra o rotor. Conforme as pastilhas se desgastam, a aba esfrega contra o rotor, causando um som agudo quando os freios são acionados.

Pastilhas de freio ruins também podem fazer com que as rodas esquentem mais, e esse calor também pode fazer com que os rotores deformem. Se você trocar as pastilhas de freio conforme necessário, poderá manter os mesmos rotores por muito tempo e economizar muito dinheiro.

Em segundo lugar, quanto tempo você consegue dirigir com pastilhas de freio gastas? Os fabricantes oferecem uma ampla gama de “vida” efetiva de suas pastilhas de freio, normalmente entre 25.000 e 65.000 milhas. Mas a maneira como você dirige pode ter um grande impacto no desgaste da pastilha de freio. Se você deseja obter o máximo de milhas com suas pastilhas de freio, considere as quatro sugestões a seguir.

Outra questão é: como posso saber se minhas pastilhas de freio estão gastas?

Tipos de pastilhas de freio

Normalmente, os veículos regulares têm quatro tipos comuns de pastilhas de freio:

1. Semi-metálico

Com durabilidade de longo prazo e excelente capacidade de transferência de calor, o semimetálico é o tipo de pastilha de freio mais comum usada amplamente em diferentes veículos. É feito de fio de aço ou lã, grafite ou cobre e modificadores de fricção.

Essa pastilha de freio contém cerca de 30% a 65% de metal. Ela cria mais ruídos, desgasta os rotores mais rapidamente e tem baixo desempenho em baixas temperaturas.

2. Sem Amianto Orgânica

Fibras, resinas de alta temperatura e materiais de enchimento são usados ​​na fabricação deste tipo de pastilha de freio. Se comparados ao tipo semimetálico, são mais suaves e geram menos ruído; mas se deterioram mais rápido e criam mais poeira. Esses tipos de pastilhas de freio às vezes são listados como orgânicos ou Sem Amianto Orgânica (SAO).

3. SAO de baixo teor metálico

Essas pastilhas de freio são feitas de materiais orgânicos com 10% a 30% de metal, como aço ou cobre na mistura. Embora criem mais ruído e poeira de freio, suas capacidades de frenagem e transferência de calor são excelentes.

4. Cerâmica

Você pode encontrar uma pequena quantidade de metal neste tipo de pastilha de freio, mas eles são feitas principalmente de fibras cerâmicas, agentes de ligação e materiais de enchimento não ferrosos.

Quanto custa para trocar uma pastilha de freio?

O valor médio de uma pastilha de freio de boa qualidade começa em 10% do salário mínimo. Um valor menor do que este significa que você está comprando pastilhas de um material de menor qualidade, o que pode prejudicar a segurança na frenagem do veículo. Comprando um jogo completo de pastilhas de freio para seu veículo, o valor pode sair um pouco mais barato.

O valor da mão de obra geralmente depende do tempo de trabalho para a troca. Pastilhas de freios a disco geralmente demoram cerca de uma hora para serem trocadas. O valor cobrado para este serviço fica entre 5% e 20% do salário mínimo.

Como trocar a pastilha de freio?

Você precisará das seguintes ferramentas e materiais para a troca das pastilhas de freio:

Luvas descartáveis ​​de mecânico para proteger suas mãos e mantê-las limpas

Macacos e suportes de veículo

Chave de roda

Grampo sargento ou pedaço de madeira para retrair o pistão

Chave (escolha um soquete, extremidade aberta ou chave ajustável)

Dreno extração de fluido de freio

Zip tie, corda elástica ou pedaço de corda

Novas pastilhas de freio. Já que você está economizando dinheiro fazendo isso sozinho, você pode querer considerar gastar um pouco comprando pastilhas de freio originais do fabricante, que são mais caras.

Lata de fluido de freio: verifique o manual do proprietário para o tipo adequado.

Limpa freio apropriado, para limpar a superfície antes e depois da frenagem.

Passo 1. Remova a roda

Afrouxe as porcas da roda. Em seguida, levante o carro e coloque um suporte de macaco sob a estrutura do carro. Abaixe o macaco de forma que seu peso repouse no suporte do macaco. Remova totalmente as porcas de roda e remova a roda. Agora você tem acesso ao conjunto do freio e pode alcançá-lo com segurança embaixo do carro.

Passo 12. Remova o parafuso deslizante

Encontre os dois parafusos deslizantes (às vezes chamados de “pinos”) que prendem a pinça no lugar. Geralmente, é necessário apenas remover o parafuso inferior. Pode ser comprido, mas quando estiver totalmente solto, deslizará facilmente. Em alguns casos raros, você terá de usar soquetes específicos para a remoção dos parafusos.

Passo 3. Gire a pinça para cima

Com o parafuso inferior removido, o calibrador gira para cima, conforme mostrado na fotografia acima. A mangueira de borracha, que é a linha hidráulica, flexionará para permitir isso, portanto, não desconecte nenhuma linha hidráulica. Se você acha que precisa desconectar uma linha hidráulica, está fazendo algo errado. Remonte os freios e procure ajuda profissional.

Neste ponto, é muito fácil inspecionar a espessura das pastilhas de freio para confirmar se elas precisam ser trocadas. A maioria das pastilhas de freio tem indicadores de desgaste de metal, que são pequenas abas de metal que rangem quando entram em contato com os rotores. Mesmo se eles ainda não estiverem se tocando, as almofadas estarão gastas se o material de fricção tiver 1/8 de polegada/3.17 mm de espessura ou menos em qualquer ponto.

Passo 4. Deslize para fora as pastilhas de freio antigas

As pastilhas de freio agora estão expostas e os clipes de retenção as seguram frouxamente no lugar. Simplesmente deslize as pastilhas de freio antigas para fora, conforme mostrado na foto.

Na foto acima, você pode ver uma comparação da nova pastilha de freio mais espessa (em cima), ao lado da pastilha de freio velha e gasta (em baixo).

Passo 5. Substitua os clipes de retenção

A foto acima mostra os novos clipes de retenção do pad. Os novos pads quase sempre vêm com novos clipes, que permitem que eles deslizem para frente e para trás com facilidade. Use os novos e jogue fora os antigos. Não há parafusos de retenção para os clipes. Eles simplesmente se encaixam. Normalmente, há clipes para destros e canhotos, então mude um de cada vez, certificando-se de que eles correspondam exatamente como você faz.

Frequentemente, um pequeno pacote de graxa à base de grafite virá com as pastilhas de freio. Aplique isso aos clipes das novas pastilhas de freio para evitar que façam barulho.

Algumas pastilhas de freio podem ter calços soltos que devem ser mantidos temporariamente na posição até você travar as pastilhas no lugar. As “orelhas” são as abas de metal em cada extremidade da pastilha de freio (apenas as duas orelhas esquerdas são visíveis aqui). Essas orelhas se encaixam nos slots dos clipes. Um pouco da graxa pode ser aplicada nas orelhas e também entre quaisquer calços de metal soltos.

Passo 6. Insira as novas pastilhas de freio

Os novos blocos deslizam no lugar com a mesma facilidade com que os antigos faziam quando saíam, embora às vezes os novos clipes sejam mais apertados. As orelhas dos novos devem se encaixar perfeitamente na graxa aplicada. Cuidado para não sujar os discos de freio para não prejudicar a frenagem do veículo.

Passo 7. Retraia os pistões

Na foto acima, as setas apontam para os pistões. Esses pistões pressionam as pastilhas de freio e apertam o rotor para parar o carro. Seu carro pode ter apenas um pistão para cada roda, mas o princípio é o mesmo. Antes de colocar a pinça no lugar, esses pistões precisam ser retraídos (empurrados para trás) para que possam passar pelas novas pastilhas de freio mais grossas.

Os que fazem você mesmo costumam usar um grampo para retrair o pistão ou os pistões. Nesse caso, simplesmente puxamos o pistão para trás usando uma madeira e um pedaço de compensado. Ao fazer isso, o fluido de freio nos pistões está sendo empurrado de volta para o reservatório do cilindro mestre através de pequenas passagens, de modo que os pistões se movem lentamente. A largura da madeira deve permitir que os dois pistões sejam empurrados ao mesmo tempo. Se você empurrasse um sozinho, o outro sairia – você não quer isso. Felizmente, a maioria dos carros tem apenas um pistão por compasso de calibre, o que torna as coisas muito mais simples. De qualquer forma, pressão constante e paciência são essenciais aqui. Neste exemplo, adicionamos um segundo calço de madeira compensada perto do final do processo para preencher a lacuna cada vez maior. Durante todo o processo, tome o máximo cuidado para não cortar ou rasgar a proteção de borracha e a vedação que envolve os pistões.

Passo 8. Monitore o nível do fluido de freio

Quando você empurra os pistões para trás, o nível do fluido de freio aumenta lentamente. Abra o reservatório do cilindro mestre e verifique-o com frequência. Isso é mais preocupante quando você trabalha no segundo freio, porque o volume de fluido combinado de duas pinças pode fazer com que o fluido de freio transborde.

Se parecer que isso vai acontecer, sugue um pouco do fluido de freio com uma pasta de peru. Existe mais perigo de transbordar se alguém completar o nível do fluido durante as visitas de serviço regulares. (É por isso que o reservatório de fluido de freio não deve necessariamente ser preenchido assim.) O nível de fluido diminui naturalmente com o desgaste das pastilhas. E ele volta quando as almofadas são substituídas. Desde que o nível não desça abaixo de “MIN”, na metade inferior do reservatório, tudo está fresco.

Passo 9. Reposicione as pinças

Com os pistões retraídos, o calibrador deve deslizar sobre as almofadas com pouco esforço. Às vezes, o ajuste é apertado e a pinça desliza nas pastilhas de freio recém-instaladas. Se os pistões prenderem nas pastilhas de freio, talvez seja necessário verificar se o pistão retraiu completamente.

Passo 10. Reinstale o parafuso deslizante e repita para o outro lado

Reinstale e reaperte o parafuso deslizante. Endireite as rodas do carro, monte novamente o pneu e aperte as porcas de roda.

Repita todas essas etapas para o outro lado dos freios dianteiros. Lembre-se de que o fluido de freio estará mais alto no reservatório agora que as novas pastilhas são instaladas em um lado, portanto, preste atenção no nível do fluido ao retrair o pistão do outro lado. O fluido só vai subir mais na segunda vez. Você não quer que ele transborde, pois o fluido de freio é altamente corrosivo. Se parecer que o líquido vai transbordar, remova um pouco com o drenador. Se o nível estiver abaixo do “MAX” quando os dois lados estiverem prontos, adicione fluido novo para completar a linha.

Passo 11. Faça um teste em condições seguras

Faça um teste de direção do carro em condições seguras para se certificar de que tudo está funcionando corretamente, tendo especial cuidado nas primeiras paradas. Esteja ciente de que seu pedal de freio pode ter um ponto de engate mais alto. Você vai se acostumar rapidamente com essa mudança. Aproveite o uso de seus novos freios, sabendo que agora existem pastilhas de freio grossas para pará-lo com segurança.

Ficou alguma dúvida? Deixem nos comentários suas perguntas!

Sobre o autor

Autor André M. Coelho

O pai de André já teve alguns carros clássicos antes de falecer, como Diplomata, Chevette e Opala. Após completar 18 anos, tirou carteira de moto e carro, comprando então sua primeira moto, uma Honda Sahara 350. Fez um curso de mecânica de motos para começar uma restauração na moto, e acabou aprendendo também como consertar alguns problemas de carros. Seu primeiro carro foi uma Nissan Grand Livina de 2014 e pretende em breve comprar uma picape diesel. No caminho, vai compartilhando tudo que aprende no site Carro de Garagem.

Deixe um comentário