10 segredos que as revendas de carros não contam!

Em Compra e venda de veículos por André M. Coelho

Como evitar ser passado para trás por um vendedor de carros? Bem, ao chegar na concessionária conhecendo os segredos que eles tentam esconder de você a qualquer custo.

Então, antes de entrar em um showroom de uma revenda de carros, vamos saber o que eles usam contra você.

1. Perguntar ‘Qual é o seu melhor preço?’ na revenda de carros

A melhor maneira de se aproximar de uma execução de vendas é estar de forma justa. Diga o que você quer, como fazer perguntas como ‘Qual é o seu melhor preço?’ É muito nebuloso – e nesse ponto o melhor preço é aquele marcado.

Tenha em mente que se um carro estiver no pátio por um tempo, provavelmente já foi descontado e não haverá muita margem deixada nela, então você pode não conseguir o acordo que você imaginou.

2. Compre carro mais barato no final dos trimestres de vendas

Quando os trimestres de vendas estão se aproximando de uma concessionária final, estão muito interessados ​​em atingir alvos, e se isso significa vender um veículo em uma perda para atingir o alvo maior, e, portanto, mais renda, ele terão.

A imagem maior do volume total de vendas faz valer mais a pena do que vender sem desconto.

3. Repense no valor do seu veículo de troca de parte

Se você for parte – trocar um carro o curso mais sensato é ter uma figura em mente, que é o que você está preparado para pagar pelo custo nocional do novo veículo menos o valor nocional do seu veículo antigo.

Focar apenas no valor do seu carro antigo realmente não ajuda todo o processo. Seja honesto e adiantado, o revendedor pode ver se eles podem fazer o trabalho.

Se o valor que você quer e o valor que te oferecem, não são distantes, então esteja preparado para deixar seus detalhes de lado e, em seguida, aceite. É um risco, mas a revenda pode te oferecer menos mais tarde.

Segredos dos vendedores de carros

As revendas de carro tem truques e macetes que ao aprender, sua experiência de compra será melhor. (Imagem: Covideo)

4. Não seja um comprador que os negociantes querem evitar

Existem alguns clientes que os vendedores aprendem a evitar.

Os sinais incluem alguém olhando para um carro de um valor pegando cada pequeno detalhe e reclamando por grandes descontos. Eles passarão por toda a papelada em detalhes e começarão a gritar seus direitos sob os direitos ao consumidor ou venda de mercadorias, em primeira instância.

Esses clientes simplesmente não serão atendidos pelas revendas de veículos.

5. Não aterrorize a equipe de vendas em um test drive

Os test drives também podem ser desafiadores.

Nos deparamos com uma história de um revendedor que trabalhava em uma concessionária e saiu com um cliente em um test drive, em que ela se desviou através de ambas as faixas de uma pista dupla, e o carro capotou 5 vezes. Ela saiu andando do veículo. O vendedor morreu.

Em outras palavras: pegue leve no test drive. Você não é um piloto de Fórmula 1.

6. Os revendedores estão bem cientes dos preços de combustíveis

Menos pessoas estão à procura de carros que consomem muito – e valores de novos e usados ​​no mercado para carros mais velhos estão em ascensão, pois os motoristas estão procurando modelos eficientes em combustível que evitam problemas ambientais

Obter um desconto em um novo modelo será muito mais fácil se você buscar o veículo certo, já que mesmo veículos diesel podem ter dificuldade para sair em tempos mais “ecológicos”.

7. Busque veículos usados de frota com pouca quilometragem

Falando de carros mais baratos, há muitos carros com quilometragens baixas e com menos de um ano de idade.

De onde eles vêm? Uma variedade de fontes, incluindo locadoras, carros de cortesia, carros de seguro, carros usados ​​por revendedores e gerência e até mesmo aqueles vendidos sob esquemas de compra preferenciais.

Esses modelos devem ser devidamente inspecionados, mas as chances são de que você poderá encontrar muitos dentro do seu orçamento.

8. A equipe de vendas recebem alguma comissão

Os executivos de vendas não ganham muito dinheiro para adicionar opções ao carro, mas “bom dinheiro” é feito por complementos como seguros supérfluos e estéticos.

Existe um seguro cobre o déficit entre o que você pagou pelo carro e o valor que sua seguradora pagará, caso seja escrito, além de pacotes para pintura, entre outros.

Sabendo que o preço desses seguros pode ser muito mais caro do que pesquisar um seguro por conta própria, é melhor recusar todas as ofertas e procurar a sua própria.

9. Não se esqueça que consertos no carro tem custos para a revenda

Não subestime o custo para os revendedores para fazer uma roadworthy do carro – e, em seguida, oferecer uma garantia no modelo que você está comprando.

Por exemplo, se você tivesse um carro usado de R$40.000 para vender, a margem bruta do revendedor seria de cerca de R$13.000, mas disso precisaria vir recondicionamento de custos, motor se aplicável, manutenção, valorização e assim por diante, então o lucro médio cairia para cerca de R$4000 ou 10%.

10. Seja amigável ao lidar com uma revenda de carros

Além dos números, toda a venda é sobre uma interação pessoal.

Se o representante conversar com o cliente, e o cliente foi relativamente razoável e agradável de seu lado, então o representante costuma voluntariar descontos ou benefícios, só porque se sentia bem.

Vale a pena ter em mente, então seja legal e agradável em uma conversa que torna seu dia melhor.

Dúvidas? Deixem nos comentários suas perguntas!

Sobre o autor

Autor André M. Coelho

O pai de André já teve alguns carros clássicos antes de falecer, como Diplomata, Chevette e Opala. Após completar 18 anos, tirou carteira de moto e carro, comprando então sua primeira moto, uma Honda Sahara 350. Fez um curso de mecânica de motos para começar uma restauração na moto, e acabou aprendendo também como consertar alguns problemas de carros. Seu primeiro carro foi uma Nissan Grand Livina de 2014 e pretende em breve comprar uma picape diesel. No caminho, vai compartilhando tudo que aprende no site Carro de Garagem.

Deixe um comentário